Sistema de pulsação: qual a função e como funcionam os pulsadores?

Em publicações anteriores já abordamos o assunto referente ao objetivo de um equipamento de ordenha ao ponto de simplifica-lo na expressão “só precisa imitar a terneira (Bezerra)”. Porém, para alcançarmos este objetivo temos que dar muita atenção para o dimensionamento e funcionamento de todo e qualquer equipamento de ordenha, sob pena de causarmos danos as vacas ordenhadas.

Na semana anterior falamos sobre as tubulações da ordenha canalizada, da mesma forma que já conversamos sobre produção, reserva e estabilidade de vácuo, bem como alguns componentes que compõem o equipamento de ordenha e garantem seu funcionamento, contemplando estas três condições básicas para que o equipamento realmente “Imite a terneira”. Hoje vamos esclarecer o que são e quais as funções dos pulsadores dentro do processo de ordenha. Siga com a Ordemax e confira!

Os pulsadores são componentes simples responsáveis pela alteração na admissão de ar e vácuo na câmera externa de pulsação da teteira. A alternância entre o vácuo e a entrada de ar na câmara do sistema de pulsação estabelece as fases entre ordenha e massagem, tendo ação simultânea ou alternada que devem ser cuidadosamente reguladas, independente da taxa de pulsação selecionada. Entenda a diferença:

  • Taxa de Pulsação: é o indicativo que se mede quantas vezes um pulsador admite ar por minuto durante a ordenha, onde em bovinos leiteiros o ideal são 60 admissões de ar por minuto, ou se preferir, 60 batidas do pulsador por minuto. Em outras raças esta taxa sofre variações ao exemplo de caprinos, ovinos, bubalinos, entre outros;
  • Relação de Pulsação: se refere ao tempo entre massagem do teto e extração do leite propriamente dita, sendo 60% do tempo somando-se as fases que compreendem a extração do leite e 40% do tempo completando com as fases que compreendem a massagem.

Existem pelo menos duas formas de funcionamento dos pulsadores disponíveis no mercado: a ação simultânea e a ação alternada. Independente se o funcionamento é pneumático (dependendo exclusivamente da saúde de vácuo do equipamento de ordenha) ou com controle de eletroválvulas (componentes controlados eletronicamente, independente da saúde de vácuo da ordenha).

  • Ação simultânea: as quatro câmaras da unidade de ordenha ficam na mesma posição, sendo possível ordenhar os quatro tetos ao mesmo tempo e após massageá-los ao mesmo tempo. Deve-se observar se ambos os lados do pulsador e as tetas que estão sendo ordenhadas, mantém o mesmo ritmo de ação. A diferença da ação entre os lados é tecnicamente chamada de limping e deve ser menor do que 5%;
  • Ação alternada: duas teteiras da unidade ordenham enquanto as outras duas realizam a massagem nos tetos das vacas.

A massagem é considerada de suma importância na manutenção da corrente sanguínea do corpo até a ponta do teto durante o processo, promovendo assim fluxo constante de leite até o fim da ordenha. Quanto maior for à fase de ordenha, mais rápida ela será. Vale lembrar que as fases de massagem são menores e podem desafiar os tetos, levando a hiperqueratinização precoce dos mesmos. Por isso, o fluxo de ar na câmara de pulsação deve ser rápido e estar em perfeito funcionamento para que o animal não seja prejudicado.

Basicamente o Pulsador auxilia o equipamento imitar a mamada da terneira, mas para que isto aconteça este componente deve funcionar em perfeita harmonia, bem dimensionado, regulado, com taxa e relação de pulsação adequado ao rebanho a ser ordenhado.

Conseguimos entender melhor o funcionamento do Pulsador junto ao sistema de um equipamento de ordenha canalizada? Então acompanhe a Ordemax lá no facebook e instagram e fique ligado no nosso próximo post sobre Coletores de Leite!

Está começando neste mercado e quer entender mais sobre o equipamento de ordenha? Clique aqui e confira!

Nenhum comentário.

Deixe seu comentário